UM CURSO EM MILAGRES
21 DE JANEIRO DE 2004
4ª FEIRA

Eu estou aqui só para ser verdadeiramente útil.
Eu estou aqui para representar Aquele Que me enviou.
Eu não tenho que me preocupar com o que dizer ou o que
fazer, porque Aquele Que me enviou me dirigirá.
Eu estou contente em estar aonde quer que Ele deseje,

sabendo que Ele vai comigo.
Eu serei curado na medida em que eu permitir que Ele
me ensine a curar.

Princípio 15
Cada dia deve ser devotado aos milagres. O propósito do tempo é fazer com que sejas capaz de aprender como usá-lo construtivamente. É, portanto, um instrumento de ensino e um meio para um fim. O tempo cessará quando não for mais útil para facilitar o aprendizado.

Jorge: O propósito do tempo é aprendermos a usar construtivamente os milagres e o propósito dos milagres é abreviar o tempo. O milagre é um meio que pode nos levar ao fim. Aprender a usar construtivamente os milagres pode ser: -já estudamos, num capítulo anterior, que há duas maneiras de utilizar os milagres, de uma maneira construtiva ou não construtiva. Quando usamos os milagres para obter algum resultado egoísta, para atender a uma coisa que é do nosso interesse esta é uma maneira não construtiva.

Temos que aprender a usar o milagre de uma maneira construtiva porque isto pode abreviar o tempo. Cada vez que usamos de maneira construtiva isto que está a nossa disposição, à disposição de todos, a nossa compreensão dá verdadeiros saltos. Compreendemos coisas que poderíamos levar muitos anos para compreende, daí nós nos damos conta que isto já estava a nossa disposição e sempre esteve. Por que não alcançamos isto antes?

Porque ficamos zanzando com passos de tartaruga. Por exemplo, hoje temos telefone celular, há 500 anos atrás a gente poderia ter telefone celular? Poderia! Mas a gente só se dá conta disto hoje, depois que a gente obtém o benefício, que a gente obtém esta compreensão.

Perguntamos: ‘Mas por que alguém não fez isto antes?’ É o chamado ‘ovo de Colombo’:

...Ah, colocar o ovo em pé, deste jeito, qualquer um faz!

..então, por que não fez?

..ah, descobrir a América qualquer um poderia fazer!

...por que não fez?

Outro dia uma pessoa disse pra mim que as energias estão ao alcance de qualquer um e que não cabe a ninguém ensinar aos outros.

Eu disse pra ele: Então, porque não fazem, se está ao alcance de todos? Por que você mesmo não faz e ensina ao outros como fazer, estendendo isto aos outros? Você pode observar, nós não estamos conseguindo!

O verdadeiro objetivo dos milagres é encurtar o tempo e o objetivo do tempo é nos proporcionar o aprendizado.

Resumindo: temos que trabalhar com os milagres de maneira construtiva, oferecendo milagres, oferece e sai fora, desliga te daquilo, não fique preso ao resultado. Não oferece com intenção impondo a tua vontade, unicamente a Vontade Divina. Temos que estar isentos de intenção e qualquer espécie de reação.

Qualquer espécie de reação porque, o milagre envolve uma ação e nós ficamos presos à lei da física que diz que cada ação tem que ter uma reação. Percebo uma pessoa em dificuldades e ofereço um milagre para que ela se cure e volte ao amor e amanhã eu passo lá pra ver se ela me agradece e diz pra mim: ‘Ontem, na hora em que você passou por aqui eu senti uma coisa tão boa que eu melhorei.’ Fico passando todos os dias até a pessoa se dar conta que fui eu, deste jeito eu fico preso no tempo. Aquilo já passou e eu estou preso no passado por minha própria vontade. Por isto temos que estar isentos de intenção e, como o milagre transcende as leis físicas, da reação física, do agradecimento, do reconhecimento.

Então sai fora disto, aí você vai ter o grande salto. Não fique preso, porque o milagre que eu ofereci agora, foi agora, daqui a um pouco aquilo já é passado. É isto que tempos que compreender, este ponto, daí começamos a saltar na nossa evolução real. Vamos saltar verticalmente.

Tem uma coisa muito importante que quero comentar com vocês, é sobre o que vai acontecer quando a gente dá estes saltos para fora do tempo: O tempo e o mundo são a mesma coisa, porque quem está preso ao mundo, está preso ao tempo. O mundo gira e os giros do mundo marcam o tempo. Quando a tua mente começa a sair um pouquinho fora disto, você começa a perceber o mundo de um outro ponto de vista, de um outro plano. Daí você pode começar a pensar que o mundo é uma confusão...e é! O quê você tem que fazer, você não pode se revoltar com isto. Você começa a entrar num outro nível , você quer as coisas perfeitas ...as coisas justas, harmoniosas, amorosas. Parece que o mundo começa a te atacar com tudo o que acontece. Revoltar, é voltar outra vez. Se nós nos revoltamos, voltamos outra vez para o mundo, que é a confusão, a competição, a intriga. Isto é uma etapa bem difícil de se superar , porque a gente não está fora do mundo, mas não quer mais ficar nele.

De repente a pessoa começa a perceber que não é deste mundo, não quer mais isto porque é só briga, só confusão. O que ela tem que fazer? Ela tem que olhar para o mundo e daí começa um processo de aceitação. Se você não trabalhar a aceitação você vai se revoltar, e revoltar é voltar outra vez para o mundo. Quando começa voltar, você acha normal que as pessoas se ataquem. As pessoas estão carregando tantas tensões, que qualquer coisinha já vira uma encrenca, a outra pessoa também está tensa. Temos que entender isto.

Eu fiz este comentário porque nesta semana surgiram várias situações deste tipo, eu me dei conta que eu deveria comentar isto, embora não esteja no princípio, ainda não sei sobre o que vamos ler hoje. A intenção é nos darmos conta que revoltar é voltar outra vez.

Participante: Tem um parágrafo que me parece que fala sobre isto, está na página 8, número 6.

Jorge: Vamos ler o parágrafo.

Participante: Livro Texto - Página 8
Capítulo 1 – O SIGNIFICADO DOS MILAGRES

II. Revelação, tempo e milagres

6. O milagre minimiza a necessidade de tempo. Nos planos longitudinal ou horizontal, o reconhecimento da igualdade dos membros da Filiação parece envolver um tempo quase sem fim. Contudo, o milagre acarreta uma passagem repentina da percepção horizontal para a vertical. Isto introduz um intervalo do qual ambos, tanto o doador como quem recebe, emergem mais adiante no tempo do que se tivessem estado de outra forma. O milagre tem, então, a propriedade única de abolir o tempo, na medida em que torna desnecessário o intervalo de tempo que demora. Não há relação entre o tempo que demora um milagre e o tempo que cobre. Um milagre substitui uma aprendizagem que poderia ter levado milhares de anos. Faz isso através do reconhecimento subjacente da perfeita igualdade entre quem dá e quem recebe, na qual o milagre se baseia. O milagre encurta o tempo, colapsando-o, eliminando assim certos intervalos dentro dele. Faz isso, porém, dentro de uma seqüência temporal mais ampla.

Jorge: É um salto realmente. Por isso que algumas pessoas que conseguem chegar a este nível saltam lá na frente . Vou dar um exemplo, não sei se é adequado, mas analogicamente pode ser útil. Einstein deu um salto pra compreender uma coisa lá na frente. Como foi difícil para as pessoas compreenderem a lei da relatividade. A lei da relatividade diz que o tempo é relativo. Hoje mais do que nunca, o tempo e a distância são medidas relativas.

Quão distante está São Paulo daqui de Florianópolis? Depende o veículo que você usa! Então tanto a distância, quanto o tempo, são relativos. Esta é a lei da relatividade colocada de uma maneira bem simples. Era difícil de compreender isto porque vinha acompanhado de fórmulas.

Livro Texto

Página 35

Capítulo 2 A Separação e a Expiação

6. Deve-se notar especialmente que Deus só tem um Filho. Se todas as Suas criações são Seus Filhos, cada um tem que ser uma parte integral de toda a Filiação. A Filiação, em sua unicidade, transcende a soma de suas partes. Todavia, isso fica obscuro enquanto qualquer uma de suas partes está faltando. É por isso que, em última instância, o conflito não pode ser resolvido até que todas as partes da Filiação tenham retornado. Só então pode o significado da integridade em seu verdadeiro sentido ser compreendido. Qualquer parte da Filiação pode acreditar no erro ou no in-completo, se assim escolher. Todavia, se o faz, está acreditando na existência do nada. A correção desse erro é a Expiação.

Participante: Gostaria de entender melhor a frase “A Filiação, em sua unicidade, transcende a soma de suas partes”.

Jorge: Pegue uma taça de cristal, um martelo e um prego. De uma pregada bem firme na taça, você vai ver que ela vai se partir em inúmeros fragmentos. Quando você só vê os fragmentos separados você não tem idéia do que é a soma dos fragmentos, você não consegue compreender a integridade enquanto estiver vendo fragmentos separados. O que se deve fazer é reconstituir a unidade, a soma dos fragmentos transcende a soma dos cacos. Embora o caco seja parte que contém o que contém o todo, não há como compreender o que é a taça. Enquanto estiver faltando um dos cacos, a taça não estará completa. Enquanto não está completa você não pode perceber o que aquilo pode conter.

Então, caco a caco, fragmento a fragmento, cada parte desta unidade que compõe uma única unidade, ou seja uma unidade (humanidade) tem que voltar ao seu ponto inicial, onde aconteceu a primeira fragmentação. O ponto da separação da fragmentação. Quanto mais cacos unirem as suas mentes para formar de volta esta unidade, quanto mais cacos estiverem juntos, mais eles vão procurar os cacos que estão faltando.

Enquanto ainda estamos vendo a mente separada, o meu ‘eu’ separado, mais difícil fica.

Como diz num parágrafo anterior ‘parece que o tempo não termina nunca para aquele que está querendo juntar a unidade, parece que isto não vai ser possível nunca dentro do tempo. Mas só parece, mas não é. Isto está acontecendo, cada vez mais esta unidade está sendo reconstituída, nunca antes tantas pessoas buscaram a unidade como agora.

Esta é uma das razões de trabalharmos este livro em grupo. Porque aquilo que é indizível, que é a Revelação de Deus, se é indizível, não há como dize-lo, então é necessário um instrumento para traduzir de indizível para compreensível. O livro, Um Curso em Milagres é um instrumento de tradução daquilo que não se consegue dizer através de palavras. Cabe ainda, interpretá-lo e a interpretação, quando feita de maneira individual, fica no nível do ‘eu interpretei assim’ . Quando nós trabalhamos esta interpretação no nível do grupo cria-se a consciência de ‘nós interpretamos assim’ .

Quando criarmos a consciência de ‘nós do grupo luz que estudamos Um Curso em Milagres’, vai passar alguém e perguntar: ‘Quem são?’ Quando alguém passar e disser ‘Quem são?’ é porque já ‘são’, é isto que queremos alcançar, o estado de são, sanidade. As mentes que chegaram ao estado de ‘são’ são aquelas que se reintegraram, é a união das partes. Por isto a taça é tão simbólica. Elevar a taça representa a integridade, aquilo que pode conter, que não é nada, mas pode conter o todo. Uma taça que falta um fragmento não pode conter nada. Então, a unidade pode ser representada por uma taça.

Participante: Então quer dizer que todos nós somos fragmentos de uma grande taça.

Jorge: Todos nós somos cacos.

Participante: Colocado desta maneira, só quando todos estiverem juntos é que vamos ter a compreensão de todo o mistério do universo.

Participante: Para juntar todos é preciso acontecer a Expiação.

Jorge: Para acontecer a Expiação você tem que ter esta consciência. Para ter esta consciência sozinho é muito difícil, por isso que tem que passar pela etapa do ‘eu’, me agrego a um grupo, para ter a consciência do ‘nós’, quando nós tivermos esta força, daí vai, aí fica fácil.

Esta compreensão eu tive um dia em que estava olhando da sacada do apartamento onde moro, no 8º andar, lá em baixo tem um colégio, era um dia de chuva e as crianças estavam cantando, dezenas de crianças cantando. Era aula de educação física, como estava chovendo, ficaram dentro das salas cantando. Fui até a sacada e achei isto muito bonito. Estavam cantando que gostavam da escola, que gostavam de estar ali. Me deu vontade de ir lá e cantar junto . Eu disse pra Raquel:

-Acho que vou lá embaixo cantar com as crianças!

A Raquel disse:

-Você não seria aceito!

-Mas por quê?

- Porque você é muito grandão!

-Se eu chegar lá com uma chupeta na boca e um ursinho debaixo do braço?

-Daí você vai ser aceito no manicômio!

Daí eu tive uma compreensão: Quem já está num nível mais elevado, não tem que descer aos níveis inferiores, você já passou por isto. Se tivesse uma só criança cantando, eu não teria ouvido. Mas estas dezenas de crianças cantando, parecia que a voz chegava ao andar 89, tão alto que subia.

Realmente é assim, quando um ou mais estiverem unidos formando a consciência do ‘nós’ daí a coisa sobe, tem energia pra subir. É isto que temos que trabalhar aqui, para que todos cheguem no ponto de ter a mesma compreensão. Enquanto ainda tivermos compreensões diferentes, não estamos totalmente integrados na mesma compreensão. Todo trabalho que temos que fazer no grupo é este, para nos integrarmos e quando se lê um princípio, um parágrafo, todos compreenderem igualmente. Vamos chegar aí e quando chegarmos aí estaremos próximos do São.

Participante: Nós aqui fazemos parte de um grupo e lá fora fazemos parte de outros grupos, podemos estender para estes grupos e tornar esta força muito maior.

Jorge: Esta extensão, depois, é natural. Você não consegue ficar com isto guardado. Se você muda alguma coisa na tua maneira de perceber, na tua maneira de pensar, de agir, você muda tudo a sua volta, você não vai ser mais o mesmo. As pessoas vão começar a te ver de maneira diferente, você começa a mudar, gradualmente, tudo o que está a tua volta, sem que você precise fazer esforço.

Pra vocês perceberem como uma pessoa pode mudar tudo o que está a sua volta, uma vez assisti na televisão uma história assim:

Uma história:

Um padre estava viajando no interior, numa estrada de chão poeirenta, esburacada, já estava viajando umas 5 ou 6 horas . Ele pensou, ‘que vontade de parar num bar na beira da estrada e tomar uma cachaça pra tirar esta poeira da garganta’. Dali a pouco apareceu um bar na beira da estrada, ele entrou doido pra tomar uma cachaça pra baixar a poeira da garganta, viu que havia uma porção de gente tomando cachaça, o pessoal viu ele entrar e no mesmo instante todos esconderam seus copos. O padre pensou ‘como é que eu vou tomar cachaça agora?’ O padre disse para o atendente do bar: Me dá um copinho d’agua! (risos)

Então, a gente pode mudar e não precisa dizer nada.

A imagem da taça representa a unidade, a única coisa que existe. Deus só tem um Filho, ele não criou um monte de cacos, ele criou uma taça que se rompeu. Enquanto esta taça não for reconstituída, usando a taça analogicamente, ele continua dizendo eu só tenho uma taça, só criei uma taça, não tenho um monte de cacos. O que aconteceu é que eles se separaram, o problema é que os cacos criaram ‘perninhas’, um corre pra cá, outro corre pra lá... agora está um imenso quebra cabeça.

Vejam como fica interessante usando o exemplo da taça, enquanto não juntar todos os cacos a gente não consegue compreender a integridade da taça, não dá pra saber o que é. Enquanto os cacos que já estão unidos já começam a formar a mentalidade de íntegro, aquele que está separado não consegue.

Livro Texto

Página 35

Capítulo 2 - A Separação e a Expiação

7. Já falei brevemente sobre a prontidão, mas alguns pontos adicionais podem ser úteis aqui. A prontidão é apenas o pré-requisito para a realização. As duas não devem ser confundidas. Assim que ocorre um estado de prontidão, usualmente existe algum desejo de realização, mas isso não significa necessariamente que ele não seja dividido. Esse estado não implica em nada mais do que um potencial para a mudança da mente. A confiança não pode se desenvolver plenamente enquanto a maestria não tiver sido conseguida. Nós já tentamos corrigir o erro fundamental de que o medo pode ser domado e enfatizamos que a única maestria real é através do amor. A prontidão é só o começo da confiança. Podes pensar que isso implique na necessidade de uma enorme quantidade de tempo entre a prontidão e a maestria, mas permita-me lembrar-te que o tempo e o espaço estão sob o meu controle.

Jorge: Para entender o que é o estado de prontidão: Uma vez, trabalhando com Um Curso em Milagres eu compreendi que eu poderia usar alguma coisa material como veículo para levar amor para as outras pessoas. Como veículos para levar milagres, até para me aproximar das outras pessoas.

A compreensão aconteceu em etapas: Primeiro eu não dava moedas pra ninguém, tive esta compreensão que não deveria da moedas, em alguns casos eu admitia até dar moedas.

Depois eu tive a compreensão de que eu poderia usar a moeda como veículo para oferecer uma bênção para a pessoa, para oferecer um milagre. Um dia nós estávamos em Belo Horizonte, Raquel e eu, eu enchi o bolso de moedas e saímos pra oferecê-las para os pedintes. Nos dias anteriores, muitos pedintes tinham se aproximado de mim e eu não tinha nenhuma moeda, eu queria usar a moeda pra me aproximar das pessoas e ter a oportunidade de passar um pouco de amor para elas.

Enchi o bolso de moedas e andamos a manhã inteira e não encontramos ninguém. Eu reclamava pra Raquel ‘você não está olhando direito! , tem que ter alguém pedindo!’, mas não apareceu ninguém. De repente ouvimos alguém pedir um moeda, a gente chegou perto da pessoa ela não deu atenção pra gente como se não quisesse, parou de pedir. Foi muito interessante.

Tive uma nova compreensão, é em etapas, primeiro veio o telefone de manivelas, depois o de teclas, depois o digital, depois o celular...

Então eu compreendi que o estado de prontidão é um estado em que a gente tem que se colocar, mas tem que deixar livre.

Com a minha prontidão de oferecer moedas, sumiram todos os mendigos da rua. Isto não é o estado ideal. O estado ideal é quando você chega a um nível de se colocar em prontidão ‘eu estou disponível, mas sem querer dirigir’. Eu queria dar um milagre para cada mendigo, aonde eu passava não tinha ninguém, o que isto quis me dizer? Não tem que haver intenção, tem que haver somente a prontidão Eu estou aqui só para ser verdadeiramente útil... e não: eu estou aqui e hoje eu vou sair para fazer milagres.

Às vezes, ser verdadeiramente útil que é o que vai nos colocar no alinhamento dos milagres, não é aquilo que a gente quer oferecer para o outro. Aí é que está a diferença. É servir aquele que vai aparecer na tua frente.

Como diz neste princípio, nós devemos adquirir a maestria, e a maestria não acontece no momento em que você inicia a proposta.

Um dia veio um rapaz aqui e eu sabia que ele tinha feito Mestre de Reiki . Eu perguntei pra ele:

-E aí, como vai a maestria Reiki?

-Eu já sou mestre, eu já fiz o curso de mestre de Reiki, eu já fiz a maestria!

-Mas você fez a iniciação, sabe porque tem este nome, ‘iniciação’?

-Por quê?

-Porque não é a finalização! Neste momento é que você inicia a trajetória, por isso que se fala muito em iniciações. Iniciação não é o momento em que a pessoa chega lá, é o momento em que a pessoa inicia.

Como está aí no livro, a maestria é alcançada não no momento em que a pessoa se propõe aquilo, que é o momento da iniciação, com o Reiki também acontece isto. Temos que ir trabalhando como qualquer atividade pra buscar aquilo no decorrer do tempo. Uma pessoa que se forma numa faculdade, ela pode sair de lá com o ego de que sabe tudo, um dia ela via entrar num emprego, daí ela vai descobrir que não sabe nada, que ela recém está iniciando uma trajetória. Descobre que tem que passar uma existência toda para aprender a faculdade que ela escolheu desenvolver, descobre que ela só aprendeu a técnica pra desenvolver.

Desenvolver cabe a cada um, alcançar a maestria, a maestria sobre o seu dom. Isto vai ser alcançado no momento em que a pessoa não tiver mais orgulho, não tiver mais ego, ou ‘egulho’. A gente está sempre propenso a ter, mas no momento em que você tem maestria sobre o ego, que você é o mestre, não o ego. Isto é alcançar a maestria. Sair do ego, você é o mestre.

Mestre quer dizer que não é mais o ego o mestre, você já alcançou a maestria e já começa a se integrar à taça, aí a gente vai alcançando a maestria. Enquanto sozinho a gente ainda é um caco, não importa que curso tenha feito.

É um conjunto de ações que a pessoa se propõe que vai levando a pessoa a ter, cada vez mais, estas compreensões.

Na Etiópia estavam fazendo umas escavações a 50 metros de profundidade, um lugar que nunca foi escavado encontraram lá sinais de cabos telefônicos que, possivelmente estavam lá há uns 10 mil anos. Chegaram a conclusão que há 10 mil anos atrás já deveria ter uma espécie de comunicação com cabos. Na Espanha, quando estavam escavando para construir um shopping, eles descobriram resíduos de fibra ótica, que também analisaram que era de 10 mil anos atrás. Concluíram que, possivelmente, na Espanha, há 10 mil anos atrás já usavam comunicação com isto que nós estamos julgando uma grande novidade. Num outro país escavaram e não encontraram nada, chegaram a conclusão que ali há 10 mil anos atrás já havia o telefone celular ...(risos)

Tudo vai por etapas, quem decide quanto tempo vai ser usado para alcançar este ponto é cada pessoa ‘na medida em que eu me permitir que Ele me ensine a curar’. Nós mesmos nos impomos esta medida, é só esta medida que temos, ‘a medida em que eu me permitir que Ele me ensine a curar’.

Me coloquei em prontidão e fiquei com desejo de realizar aquilo, eu estava com o bolso cheio de moedas.

Participante: Posso entender a prontidão como agir com o coração, com amor?

Jorge: Prontidão é fazer a oração que fizemos no início: ‘Eu estou aqui só para ser verdadeiramente útil, eu não tenho que me preocupar com o que dizer ou o que fazer.....’, foi aí que eu me enganei, pois eu me preocupei com o que fazer. Isto não estava livre, não era uma coisa amorosa. Eu me coloquei em prontidão, mas queria realização. Eu coloquei uma intenção daquilo que eu queria realizar, usar uma moeda como veículo para oferecer amor, eu queria um retorno disto, isto é do ego, o ‘egulho’.

Participante: Eu gostaria de entender melhor a frase: ‘A confiança não pode se desenvolver plenamente enquanto a maestria não tiver sido conseguida.’

Jorge: Isto fecha um circulo infinito, porque a confiança é o momento em que você confia, inicia, você se coloca na prontidão. No entanto diz também que ela não pode ser plenamente desenvolvida enquanto a maestria não for conseguida, então você não está totalmente confiante. Você confia um pouco, amanhã você confia um pouco mais, até alcançar a maestria, você não conseguiu desenvolver a tua confiança plena de que você pode oferecer milagres. Que através de você o milagre pode acontecer. Você ainda vai duvidar, porque você ainda não tem a maestria.

A maestria o que é? A única maestria é através do amor, não tem outra maestria.

Participante: Na frase final do parágrafo está que : ‘....mas permita-me lembrar-te que o tempo e o espaço estão sob o meu controle’. O que significa?

Jorge: Uma vez eu estava fazendo um curso aqui e o curso tinha 22 etapas, começou na sexta feira às 9 horas e terminaria no domingo às 23 horas. No domingo, às 14 horas, das 22 etapas, só tínhamos trabalhado 9. O pessoal falou que não iria dar tempo. Eu disse que o tempo está a cargo Daquele que me enviou, não se preocupem! Isto acontece freqüentemente. Em 2 horas eu falo tudo o que numa outra situação eu levaria 10 horas. E termina no horário certo, às vezes até antes.

A gente não tem que se preocupar com o tempo, também. À medida em que você coloca confiança, diminui o tempo para você chegar até a tua maestria.

Mais confiança= menos tempo= mais amor= mais maestria.

Temos confiar nisto também. Se nós todas as quartas feiras estamos aqui, no mesmo horário, ‘para que estou eu aqui?”, só para ser verdadeiramente útil..!’

Agora, se eu não confiar nisto que estou fazendo, então não vai adiantar, vou ter que ficar muito mais tempo. Aquela pessoa que confia, vem para aprender e confia naquilo que está sendo trabalhado, naquilo que ela está compreendendo. Se você não confiou naquilo, você não vai integrar isto na tua existência. A pessoa tem que vir muito mais tempo, enquanto que a pessoa que confia já está lá na frente.

Aquela pessoa que chega a ser professor é porque confiou mais rápido, aquele que ainda é aluno é porque ainda não confiou o suficiente.

Participante: A maestria como está colocado aqui no parágrafo é algo muito além do que a gente entende sobre mestre, não é?

Jorge: Sim, é!

Atualmente a gente coloca mestre como dois níveis. Tínhamos uma colocação de mestre que era assim: Jesus e algum iluminado, estes seriam os mestres. De repente apareceu gente dizendo ‘eu sou mestre!’ Você não é mestre de nada, você é um caco! Às vezes ficavam irritados.

Depois eu disse: Bom, depende do significado que se dá para a palavra mestre. Assim como tem o mestre cuca, o mestre de obras, mestre de carpintaria, mestre de alfaiataria, tem mestre de Reiki, de Tai Chi , mestre disto e daquilo. No dicionário diz que mestre é todo aquele que ensina, não importa o quê.

Essa maestria que fala aí, é no momento que nada mais pode te abalar, que você já superou todo isto. Você já fez a tua Expiação, você confia totalmente no eterno e você já aprendeu que aqui tudo é passageiro.

Quero convidá-los para conhecer a página do Curso em Milagres que estamos lançando hoje na Internet, é www.milagres.org. Ali já tem algum conteúdo que colocamos e queremos a participação de todos. Esta página é exclusiva do Curso em Milagres, construída por este grupo que está aqui se dedicando a este estudo e compartilhar. Qualquer pessoa pode trazer textos ou relatos que colocamos na página, onde vai ficar aberto a quem quiser ver. Com a intenção de que nós possamos, com esta publicação, confiar mais naquilo que estamos colocando e estender esta confiança a outras pessoas que eventualmente acessem este instrumento que tem por objetivo dirigir as pessoas para o estudo do livro, que por sua vez tem por objetivo unir as pessoas para alcançar a sua própria maestria, a única maestria que existe é o amor.

Eu estou aqui só para ser verdadeiramente útil.
Eu estou aqui para representar Aquele Que me enviou.
Eu não tenho que me preocupar com o que dizer ou o que
fazer, porque Aquele Que me enviou me dirigirá.
Eu estou contente em estar aonde quer que Ele deseje,

sabendo que Ele vai comigo.
Eu serei curado na medida em que eu permitir que Ele
me ensine a curar.

 

©  2004 - Milagres