UM CURSO EM MILAGRES
13 DE ABRIL DE 2005
4ª FEIRA

Eu estou aqui só para ser verdadeiramente útil.
Eu estou aqui para representar Aquele Que me enviou.
Eu não tenho que me preocupar com o que dizer ou o que
fazer, porque Aquele Que me enviou me dirigirá.
Eu estou contente em estar aonde quer que Ele deseje,
sabendo que Ele vai comigo.
Eu serei curado na medida em que eu permitir que Ele
me ensine a curar.

Princípio 25
Milagres são parte de uma cadeia interligada de perdão que, quando completa, é a Expiação. A Expiação funciona durante todo o tempo e em todas as dimensões do tempo.

Jorge: O perdão completo é a Expiação. Uma vez nós dissemos aqui que temos que perdoar o ato e o fato. Se uma pessoa joga uma pedra na tua janela e quebra o vidro. Ele vem e diz: eu pago o vidro! Você perdoa o fato, porque a pessoa pagou o vidro, mas você não perdoa o ato que a pessoa cometeu. Aquilo fica repetindo, ‘ah, o cara jogou uma pedra na minha janela’. Mas o cara não pagou o vidro? Então, você perdoou o fato, porque a pessoa repôs aquela perda ou o perdão, mas não foi perdoado o ato.

Às vezes acontece o contrário você perdoa o ato, mas não perdoa o fato. Você perdoa o ato da pessoa ter jogado a pedra, mas não perdoa o fato, porque a pessoa não repôs o vidro que ela quebrou. Vamos colocar assim: o fato é o vidro quebrado e o ato é a pessoa ter jogado a pedra. O ato, a ação, o gesto, você perdoa, mas você fica remoendo aquilo porque acha que a pessoa deveria ter pago o vidro que quebrou.

São diagnósticos que nós damos para considerar o perdão completo, ou não. O perdão quando acontece ele tem que acontecer de uma maneira plena, completa, não pode ser pela metade. Se você perdoa o vidro quebrado, você tem que perdoar ato e fato. Isto é um elo da cadeia.

Cadeia: Você jogou uma pedra na minha vidraça aí eu fiquei tão brabo, quando a Angélica veio conversar comigo e eu a xinguei. A Angélica saiu daqui tão irritada que chutou um carro ali na rua e amassou a lata do carro , o dono do carro ficou tão irritado que chegou em casa e bateu na mulher. Vocês podem considerar que isto acontece, porque um vai carregando e descarregando, carregando e descarregando, forma uma cadeia interligada de equívocos, de erros, pecados, um vai agredindo o outro.

Aí o que acontece? Amanhã você chega e me perdoa totalmente, eu que joguei o vidro na tua janela. Acontece o perdão no primeiro elo. Então, um elo está resolvido. A Expiação acontece quando toda a cadeia interligada de perdão é resolvida.

Cometemos erros, ou pecados, ou equívocos por pensamentos, palavras ou ações ou omissões. Isto é o peso da coisa. Temos uma garantia: A Expiação está acontecendo o tempo todo e em todas as dimensões do tempo. Isto quer dizer que não importa se a pessoa já está em outra dimensão, nós estamos na terceira dimensão. É isto que dizem, que o nosso planeta está na terceira dimensão.

A quarta dimensão: Astral ou purgatório;

A quinta dimensão: O inferno; os quintos dos infernos;

A sexta dimensão: Dizem que é onde estão os anjos e santos;

A sétima: O Sétimo Céu, onde está o amor puro, o amor Crístico. As pessoas quando estão amando dizem que estão no sétimo céu. Me lembro quando eu era criança tinha uma fotonovela colorida que chamava ‘O Sétimo Céu’.

A oitava dimensão, dizem, que é a esfera Divina mesmo, de Deus.

Até os quintos dos infernos a Expiação está funcionando. Isto quer dizer o quê? Que até esta questão do inferno, só fica no inferno quem quer, ou no purgatório, que chamamos de astral, isto não é importante, porque isto são as nossas crenças. Pessoas podem acreditar ou não, aqui não discutimos crenças. Que tem importância aqui é acreditarmos que a Expiação funciona em todo o tempo e em todas as dimensões do tempo. Mesmo que a pessoa não esteja mais na dimensão que nós estamos, mesmo assim o perdão continua funcionando.

Se eu perdoar você, você perdoar não sei quem, de repente alguém desta cadeia interligada de perdão já morreu, já está em outra dimensão, o perdão continua funcionando. Quando toda a cadeia interligada perdoou, aí a Expiação terminou.

Participante: No caso deste exemplo, você desencadeou uma cadeia de perdão, demora um tempo para acontecer a Expiação, por esta razão que às vezes o resultado é perceptível?

Jorge: Da mesma forma desencadeia o processo de agressão, você desencadeia o processo de perdão. Pode ser que este processo de agressão vá se estendendo no tempo entre as pessoas, durante meses. Quando você desencadeia o processo de perdão, por exemplo, você está passando mal, então alguma coisa errada aconteceu.

Se você pede perdão para aquela pessoa imediatamente, se houve um envolvimento neste desencadeamento deste processo de agressão, vamos chamar assim, que envolveu outras pessoas que você nem sabe disto, pode ser que este processo de perdão demore para acontecer. Mas quando você inicia, como diz no princípio, é uma cadeia interligada de perdão, vai indo, pode ser que demore, pode ser que daqui um ano termina aquilo, o perdão completo leva um tempo para acontecer, porque você está interligada a todas aquelas situações.

O milagre também funciona assim, tudo funciona assim. Quando você desencadeia um pensamento amoroso também funciona assim. Você vem aqui, eu te dou um abraço amoroso, você se sente bem, se sente feliz, você vai ali fora vê uma pessoa e dá um sorriso. A pessoa diz: Que bom, que sorriso bonito que recebi daquela moça! Esta pessoa chega em casa feliz, resolve dar um abraço no filho, o filho fica feliz, amanhã ele faz as coisas direitinho na escola, a professora fica feliz, ele não briga com o amiguinho. Tudo o que nós fazemos, não temos noção da dimensão de tudo isto que fazemos.

Participante: Assim também é com o amor.

Jorge: Quando começarmos a trabalhar com o amor isto vai acontecer assim também. Como nós temos muitas coisas pendentes conosco, então temos que começar a limpar. Expiar é limpar, este processo vai se desencadeando desta forma também.

Isto funciona no nível familiar também. Como é que isto funciona no nível familiar? Tudo que você fizer funciona diretamente na tua informação genética. Tem uma experiência que fizeram com o DNA, que é a nossa informação genética.

A menor partícula que conhecemos é o átomo, depois a partícula subatômica que é o fóton, que em grego significa luz, é uma partícula de luz. Isso é a base de todos nós, somos feitos de luz, então a menor partícula é luz.Em cada célula, em cada partícula, temos um pontinho de luz, que é esse pontinho de luz que a gente vê quando fotografa o campo energético, a nossa aura.

Isto funciona assim: À medida em que os pontinhos de luz da aura vão apagando, é à media que você vai cometendo erros, equívocos, ou pecados. Quando você começa a acertar a sua energia, se equilibrar energeticamente, isto tudo vai se acendendo de novo, você fica com a aura bem completa, bem fechadinha.

Muito bem, mas a experiência que fizeram é assim: Pegaram o DNA do João, e pegaram um fóton que á a partícula de luz que é instável, colocaram isto junto lá no laboratório, separado do João. O João estava sentado aqui e lá dentro debaixo do microscópio estava o DNA e o fóton que é a partícula de luz do João. Contaram uma piada para o João rir. À medida em que ele ria, estava ficando feliz esquecendo dos seus problemas, a luz se alinhava com o DNA. Começaram a contar coisas trágicas para o João, o fóton começava a se desalinhar. Se isto funciona fora do corpo do João, o que dirá no corpo dele. Foram aumentando a distância, chegaram a colocar a 80 quilômetros e as reações lá do tubo de ensaio eram a mesma coisa que as reações que o João estava sentindo.

Sabemos que estamos interligados a toda a nossa árvore genealógica, toda a vez que uma pessoa muda, ela muda toda as sua árvore genealógica, porque estamos interligados pelo DNA. Ele pode ser separado no físico, mas ele não é físico, ele está no nível mental. Quando uma pessoa começa a mudar numa família, leva um tempo, porque as pessoas são muito resistentes, mas aos poucos toda a família vai mudando.

O que quer dizer ficar alinhado com a luz? Você vai ficando alegre, feliz, contente, mais amoroso. Por quê? Porque isto são características do amor, da evolução espiritual, o espírito é amor. Amor é tristeza? Não! É alegria, é felicidade intensa, é bem estar, aquele êxtase ‘ah, que bom você estar aqui’. Quando a pessoa começa a expandir isto, a pessoa está ficando mais amorosa, ela vai tendo mais energia espiritual. É alegria, é felicidade, é isto que temos que recuperar.

Por que Jesus disse: Ser criança outra vez? Porque a criança tem uma alegria espontânea, ela não precisa que alguém conte uma piada para ela ficar alegre, vai perdendo a medida que vai se integrando às coisas da matéria. A medida que nós vamos nos integrando com mais matéria, mais preocupações, ansiedades, vamos nos desalinhando com a luz . Essa luz é a luz do espírito. À medida que vamos nos realinhando com o espírito, vamos tendo mais alegria, mais bem estar, mais felicidade, mais energia.

Participante: Para que cada familiar receba isto, é necessário o milagre, é assim?

Jorge: Se a pessoa, por exemplo, não é religiosa, uma família de pessoas que não acreditam em nada, são ateus. Um deste familiar se volta a Deus. Quando esta pessoa que se volta a Deus começar a se sentir melhor, os outros vão notar e vão dizer:

-Mas este cara está ficando diferente, o que ele está fazendo?

O familiar que se voltou para Deus diz:

-Eu estou meditando, estou pensando em Deus!

-Não pode ser, isto é tudo bobagem, isto não existe!

-Então está bem!

-Mas você parece que rejuvenesceu, o que você fez?

-Resolvi ser vegetariano, continuo meditando...

-Mas isto tudo é besteira, você está por fora, isto não tem nada a ver!

-Então está bem!

De repente um destes ‘ateus’ começa a ter um problema e pensa ‘ puxa vida, o ‘a Deus’ lá está tão bem, vou perguntar para o ‘a Deus’ se ele pode me ajudar, então o ‘a Deus’ diz:

-Olha, ‘ateus’ eu posso te ensinar a meditar, posso fazer Reiki.

-Então só um pouquinho!

Este ‘ateus’ começa a meditar, recebe Reiki, dali um pouco pergunta:

-o que você está lendo aí?

-Um Curso em Milagres!

-Isto é bobagem!

-Está bem! Mas eu estou tão bem depois que comecei a ler este livro.

-Deixa eu ler um pouquinho!

-Mas isto tudo é bobagem!

Um dia o livro está lá e ele diz, vou ler mais um pouquinho, enquanto o ‘a Deus’ não está vendo!

É assim que acontece! Por quê? Porque um chama o outro, isto tudo é uma cadeia interligada, ninguém está separado de nada. Quando uma começa a melhorar, as outras pessoas começam a perceber.

Este princípio é muito abrangente. Esta Lei natural, vamos chamar assim, funciona o tempo todo e em todas as dimensões, com tudo, não é só com o perdão. Porque da maneira que uma coisa funciona, funcionam todas as outras. Isso funciona com o perdão o tempo todo e em todas as dimensões. Quando se completa esta cadeia de perdão, então a Expiação está completa. O perdão completo é a Expiação. Temos que começar a movimentar as nossas ações, nesta direção. A partir desta compreensão, vamos ver que tudo que nós movimentamos funciona da mesma maneira.

Participante: Pode acontecer uma cadeia de ‘não te perdoe’?

Jorge: Pode! Se um elo não perdoa, então não libera. Tem que ser completo. Tem que zerar tudo em todas as pessoas envolvidas.

É mais difícil porque nós não nos movimentamos nesta direção, achamos que sempre o perdão envolve o externo, não trabalhamos tanto interno quanto o externo. Mas eu sempre digo que, estes ‘te perdoe internos’ nós trabalhamos muito bem aqui com a compreensão que nós temos aqui no Curso, nas práticas terapêuticas que temos como práticas complementares, auxiliares, ou integradas ao estudo que estamos fazendo, como o Reiki, Renascimento, Floral, Yoga, Chi Kung, Aromaterapia, tudo que temos aqui integrado no grupo. Todas as práticas que tempos aqui vão se completando, se integrando. São terapias de harmonização para chegarmos ao nível de energia e perdoarmos a nós mesmos.

O que tem que ser com o outro, isto você tem que fazer com o outro, não adianta você deitar na maca para fazer terapia. O que você tem para trabalhar internamente, venha fazer Renascimento, Reiki, Floral. Isto não substitui o perdão que você tem que fazer com o outro. Não adianta você vir e deitar na maca e ..‘o meu vizinho eu não perdôo’, isto você vai ter que ir lá e perdoá-lo.

Participante: Também não adiante ler o livro se não perdoar.

Jorge: Só não pratica quem não compreende. Tenho convicção disto. A pessoa que compreende vai praticar. É difícil, às vezes, vencer algumas crenças. Tem pessoas que lêem e não compreendem. Quando compreendeu pratica, na hora que ela compreende ela muda tudo, muda a crença, o padrão de comportamento.

Participante: Acho que poucas pessoas que pregam nas religiões compreendem realmente.

Jorge: Não é esta ou aquela instituição, são pessoas dentro da instituição, é como nós aqui. Veja por exemplo, o tamanho da igreja Católica, quantos milhões de pessoas têm agregados `a ela. Nós somos aqui nesta sala, aproximadamente, 20 pessoas presentes, uns compreendem e outros não, mas todos que estão aqui têm intenção de compreender. Até ‘cair a ficha’, para uns pode demorar mais, para outros menos, mas todos que estão aqui tem este interesse, estão em busca desta compreensão, senão não viriam. Às vezes a pessoa vem aqui e não consegue compreender utilizando o Curso em Milagres, mas consegue compreender através de um outro instrumento, está bom também. Às vezes a pessoa tem dificuldade de compreender da maneira como se trabalha o Curso em Milagres, mas pode compreender isto num curso de Tarô, ou num curso de Florais, ou num Curso de Reiki.

Jorge: Um dia todos irão ter a compreensão plena, não importa o instrumento que usem para chegar a isto. Em todas as religiões, em todas as igrejas, não importa o que as pessoas estejam lá fazendo e de que maneira, isto vai acontecer. Pode ser que não aconteça com o padre, com o bispo ou com o papa, mas com uma das pessoas que está lá. ‘Cai a ficha’ aqui ‘cai a ficha lá’, pode ser que o padre não saiba o que está lendo, mas uma das pessoas que está na igreja, de repente, compreende.

Livro texto
Página 63
Capítulo 4 – As Ilusões do Ego
II. O ego e a falsa autonomia
11.
Não se pode enfatizar com demasiada freqüência que corrigir a percepção é meramente um expediente temporário. Só é necessário porque a percepção equivocada é um bloqueio para o conhecimento, enquanto a percepção acurada é um ponto de apoio em sua direção. Todo o valor da percepção certa está na realização inevitável de que toda percepção é desnecessária. Isso remove o bloqueio inteiramente, Tu podes questionar como isso é possível enquanto aparentares estar vivendo nesse mundo. Essa é uma questão razoável. Contudo, tens que ser cuidadoso para compreendê-la realmente. Quem é o “tu” que está vivendo nesse mundo? O Espírito é imortal e a imortalidade é um estado constante. É tão verdadeira agora como sempre foi e sempre será, porque não implica em absolutamente nenhuma mudança. Não é um contínuo e nem é compreendida por ser comparada a um oposto. O conhecimento nunca envolve comparações. Essa é a sua principal diferença em relação a todas as outras coisas que a mente pode apreender.

Participante: Vamos tendo níveis de percepção, cada vez com maior amplitude, até chegarmos ao conhecimento. Vai mudando a nossa abertura, a nossa percepção pra enxergar. À medida que vou perceber cada vez menos, equivocadamente, chego ao conhecimento através da percepção.

Participante: Aconteceu um dia comigo algo assim: Acordei e tive a percepção de que a minha perna e a minha mão estavam juntas, unidas.

Jorge: É a percepção certa já, porque a percepção que há separação está errada. Se você percebeu esta ligação entre a perna e a mão, naquele momento você teve a percepção certa, porque não tem separação. Hoje nós já compreendemos, com a física Quântica. Antes aprendíamos a física separada, o meu corpo físico está separado da almofada, que está separado do corpo físico do tijolo, que está separado da parede, que está separada do teto.

Com a física Quântica estamos começando a compreender isto com mais facilidade, que nada está separado. Eles dizem que todos os corpos são de formações da onda quântica. Já aprendemos aqui que tudo é energia e as formas são energia condensada, o que diferencia uma forma da outra são os graus, aspectos e intervalos.

Quando você percebe que não há separação entre as energias, você está percebendo de forma correta. Então a tua percepção está mudando, de percepção equivocada para percepção correta. Isto é a base para você dar o salto para o conhecimento, é isto que o parágrafo está dizendo, da forma como eu compreendi.

Cada vez mais você vai tendo as percepções certas, porque você precisa um tempo para adaptar a tua menta a este novo aprendizado. Primeiro, não é que a gente leva um susto, mas é uma coisa diferente. À medida que vamos entrando nesta nova maneira de perceber, precisamos aceitar bem esta compreensão até que tenhamos a percepção toda certa. Que a gente compreenda que as mentes não estão separadas, que os corpos não estão separados. Apenas estão mais densos em determinados pontos que nos outros. O que faz os corpos estarem mais densos é a mente. A mente que vai formando a densidade física . Por isto que a pessoa que tem a mente mais leve, está com o corpo mais leve. O que torna o corpo físico pesado? É a consciência! Por isso que se diz que a pessoa que tem a consciência pesada, não caminha sobre as águas. Aquele que está com a consciência leve, porque já não tem nada, a Expiação já está completa, este pode caminhar sobre a água.

A gente via naqueles filmes do Oriente o que faziam nos mosteiros onde as pessoas ficavam para se trabalharem, dois, três mil anos atrás, eles faziam aquele papel de arroz, ele é todo quebradiço, qualquer coisinha já quebra. Espalhavam o papel de arroz pela sala e mandavam o discípulo caminhar sobre ele. Se o papel quebrasse mandavam o discípulo se trabalhar mais, tem que ficar tão leve a ponte de caminhar sobre o papel de arroz, aí está com a mente curada, está leve, com a consciência limpa.

Esta pessoa conseguiu liberar todos os obstáculos à circulação da luz, é aquele ponto, o fóton, que nós bloqueamos quando cometemos um pecado, porque isso, imediatamente, bloqueia no físico também, vai bloqueando partículas do físico.

Participante: Tem alguma coisa ver se a pessoa é magra ou gorda?

Jorge: Isso não tem nada a ver. Não tem a ver com a massa do corpo, tem a ver com o peso da consciência. Jesus, por exemplo, pelo que contaram não era magrelinho, miudinho e ele caminhava sobre as águas.

Participante: Observo na aula de Yoga, que tem pessoas quando pisam perturbam a harmonia do ambiente.

Jorge: As pessoas que vão para o Exército, como são ensinados a pisar? Pisar firme e forte no chão! Isso é para fortalecer o contato com a terra, fortalece o ego da pessoa. O que é o soldado? O soldado é a imagem do ego! Bater o pé com força no chão e o nariz empinado, é o ego! Se a pessoa começar a se espiritualizar ela não vai matar o inimigo na guerra. Por isso o treinamento do soldado é assim, ele é treinado para matar os outros, não é uma coisa espiritual.

Estas pessoas que pisam com força no chão, andando na rua, estão tentando fortalecer a sua personalidade, a sua presença, eles tem que ser vistos, notados. Uma pessoa que não tem ego, ela passa flutuando, ninguém nota.

Isso faz parte da estrutura da personalidade, do ego, tem que ser notado. Quando estava na moda aquele tamanco, observava que, de manhã, quando as lojas ainda estavam fechadas, parecia que todas as secretárias estavam atrasadas e estavam correndo para chegar no trabalho. O barulho, parecia ser de que uma cavalaria. De repente aquele tamanco sumiu, era moda. A moda é para o ego também, todo mundo tem que ter aquele tipo de sapato, aquele tipo de camisa, isto é uma manifestação de afirmação. Mas tem um aprendizado interessante aí, mesmo assim nós estamos trabalhando a igualdade, por mais que a gente queira ser diferente.

Participante: Os adolescentes, por exemplo, todos tem a mesma mochila, a mesma camiseta.

Jorge: Quando todo mundo está igual, daí muda, muda a moda novamente.

Temos que mudar a percepção, à medida que mudamos a percepção, paramos de julgar, porque começamos a ter a percepção certa . Percepção certa é assim: Primeiro você julga que todo mundo está sapateando, depois você dá aquele salto e percebe que todos estão trabalhando a igualdade. Esta é a percepção certa. Daí você se maravilha com as pessoas ‘puxa, que bonito!’

Participante: Todas querem ficar iguais à Gisele Bünchen!

Jorge: A busca da igualdade, a busca da perfeição, elas estão buscando no físico, não importa, estão buscando! Não é para ser condenado, não é para ser julgado. Enquanto ainda estamos julgando, ainda estamos na percepção errada, quando paramos de julgar e começamos a compreender, aí começamos a entrar na percepção certa.

Participante: Todos iguais, mas ainda fazendo coisa errada!

Jorge: Isso! Mesmo no erro a gente ainda está trabalhando a igualdade. Porque a gente é isso! Mesmo assim nós não fugimos da unidade. Todo mundo quer ser igual. A gente faz tudo para ficar diferente, mas todo mundo quer ser igual. Aquilo que a gente nega, reforçamos . Nega de um jeito e reforça de outro. Queremos ser diferente. Mas quando surge um penteado bonito, todo mundo quer fazer o mesmo penteado. Aquela pessoa fez um penteado diferente, agora todo mundo quer fazer igual. Veja como as coisas são interessantes, se começarmos a observar esse outro ponto. É o princípio de ter uma percepção mais certa, curada, porque não julgamos mais, porque nós julgamos as diferenças. Julgamos e condenamos as diferenças. Quando começamos a ver quanta igualdade está acontecendo, não há o que julgar e você começa a ter a percepção certa.

Quando você fortalece esta plataforma da percepção certa e toda a tua plataforma estiver fundamentada na percepção certa, aí seu ‘foguetinho’ sobe para o conhecimento, aí você atinge o conhecimento.

Por isso diz no parágrafo, por algum tempo, talvez, tem que trabalhar na percepção certa, isto é a base de lançamento para você atingir o nível do conhecimento.

É o momento em que você começa a compreender tudo. É o que disse Sócrates ‘todos os mistérios do Universo vão ser revelados’ à medida em que você vai se unificando. A pessoa vai ficando meio fora do tempo, porque ela sai fora das percepções do tempo, diziam isto de Einstein.

Uma história:

Tem uma história bem interessante que diz que Einstein parou para conversar com uma amigo, depois de conversarem por uma meia hora, se despediram e o Einstein chamou o cara e perguntou:

-Quando eu parei para conversar contigo, eu estava vindo de lá ou daqui?

-Você estava vindo de lá!

-Então eu já almocei!

Ele sabia que ele ainda precisava se alimentar para o corpo ficar aqui, mas a cabeça já estava fora do tempo, já estava numa outra dimensão.

Numa outra oportunidade perguntaram para ele: De onde você tira estas idéias? E Einstein disse: Do mundo das idéias!

Eu estou aqui só para ser verdadeiramente útil.
Eu estou aqui para representar Aquele Que me enviou.
Eu não tenho que me preocupar com o que dizer ou o que
fazer, porque Aquele Que me enviou me dirigirá.
Eu estou contente em estar aonde quer que Ele deseje,

sabendo que Ele vai comigo.
Eu serei curado na medida em que eu permitir que Ele
me ensine a curar.

 

©  2004 - Milagres