Princípio 22

22. Milagres só são associados com o medo devido
à crença em que a escuridão possa ocultar.
Tu acreditas que aquilo que os teus olhos físicos
não podem ver não existe. Isso conduz a uma
negação da vista espiritual.
 
Comentários
 

Ir mãos
Quando cometo um erro, procuro imediatamente esconde-lo.
Como se faz para esconder um erro de si mesmo e dos outros?
Cria-se um ponto escuro pois imaginamos que a escuridão pode esconder.
Quando criança cometi muitos erros, e sabia que estava errado, porque procurava um canto escuro para esconder-me de meu pai.
Interessante, porque quanto mais eu procurava um esconderijo, parecia que mais ele sabia que eu estava errado.
Ele parecia saber.
Mas como ele sabe? eu me perguntava.
Ele me procurava dizendo: Jorge, o que foi que você aprontou?
Mas como ele poderia saber???
Pois é, agora que somos adultos sabemos: quando alguém não esta as claras, é porque alguma aprontou.
Quanto mais tentamos esconder e criar escuridão, mais certeza temos de que alguma aprontou.
Quanto mais tentamos fugir das explicações, mais certeza de que alguma aprontou.
"Quem não deve não teme'
Quem não teme não foge da luz.

Então eu ficava rezando e pedindo um milagre.
Mas eu queria um milagre para manter a escuridão do meu esconderijo.

Mas milagres são luz.
A luz dissolve a escuridão, e o erro aparece espontaneamente.
Não há mais como esconder. Temos que admiti-lo, e fazer a expiação.

Então, como ainda quero esconder meus erros, associo os milagres com o medo e nego a vista espiritual, que inevitavelmente, vê o altar profanado pelo erro, e inevitavelmente conduzirá a expiação.

O que mais temo, então é encontrar em uma esquina qualquer o vizinho de meu pai, e de que ele aponte o dedo para mim, e diga:menino, você pegou o melão que eu plantei em minha horta.
Mas é claro, só um milagre poderia precipitar um acontecimento assim.
[Ainda bem que não existem. Ufa!!!]

Ainda bem que existem!!!!
Me ofereçam milagres.
Bem sãos
Jorge

Assim como as palavras "Amor" e "Deus", a palavra "Milagre" foi usada tão constantemente e num sentido tão equivocado, que esquecemos seu real significado. Hoje percebemos um "milagre" no sentido ensinado pelas seitas cristãs que povoam o mundo ocidental. A partir de um enorme problema, uma guerra, uma doença incurável, alguém a beira da morte, acontece algo que não entendemos e rotulamos isto "milagre". E este "milagre" é feito a partir de alguém muito especial, um "santo".
Nesta percepção equivocada temos a figura do medo (temos medo da guerra, da doença e da morte), e a figura do santo, alguém muito superior a mim, que será futuramente oficializado pelas instituições que representam Deus no planeta, através de um processo burocrático. Toda esta percepção é baseada na ausência de Luz, que é uma analogia preciosa para Consciência e Amor. Só a Luz é real; a escuridão não existe, ela é apenas um estado de ausência do real, a Luz.
Este estado de não-Luz foi incentivado pelas instituições ditas espirituais e nós o aceitamos. As instituições não são culpadas por isto; nós escolhemos, assim como escolhemos um plano de saúde a partir de uma propaganda na tv, da conversa de um vendedor e passamos a acreditar que estamos protegidos. A qualquer momento podemos cancelar o plano de saúde, assim como podemos escolher enxergar a Luz, pensar Luz, falar Luz e agir Luz. Neste momento poderemos ver claramente que os Milagres acontecem a cada minuto nas nossas vidas e que temos o poder de fazê-los.

Os milagres de Jesus e dos ditos mais santos do que nós,

quando percebidos por nós podem assustar devido a constatação de que existe mais coisas entre o céu e terra que nós relutamos em entender.

Os milagres diários, corriqueiros que o livro ensina são mais difíceis porque são sutis.
Ambos nos levam a crer que ainda há muito o que entender, que há uma escolha a se fazer,
Escolha esta que significa um entendimento intrínseco, do não visto com os olhos do corpo, desconhecido e ao mesmo tempo presente. É sobre Deus, Ele existe e não o vemos.
Trata-se da mesma coisa acreditar em Deus , no desconhecido. Temer a Deus é o que aprendemos com o corpo, temer o desconhecido. Acreditar em Deus é um milagre, acreditar em milagres é acreditar em Deus.
O medo é a rejeição, é achar que não mereces um milagre por que "pecaste" , é sacar que os
Milagres que ocorreram não foi bem aqueles que querias porque não se pode escolhe -los, mas que eles acontecem a revelia de teus desejos. Ele acontece o tempo todo e se estiveres entregue, você vai percebê-los e curti-los por mais estranhos que possa parecer...

Abçs
Maria Cláudia


 

©  2004 - Milagres